terça-feira, 7 de maio de 2013

Cães e gatos idosos: cuidados especiais a partir dos 5 ou 7 anos

Você sabia que a partir dos 5 e 7 anos seu pet

já é idoso?

 

Com a idade, cães e gatos precisam de cuidados especiais, pois seus órgãos não funcionam como antes

 

 

Aos setes anos de idade gatos e cães de pequeno e médio porte já são considerados senis. Para as raças gigantes, a senilidade chega mais cedo, a partir dos cinco anos de vida.  Assim como ocorre com a saúde dos humanos na terceira idade,  cães e gatos idosos necessitam de cuidados especiais, pois seus órgãos não funcionam com a mesma eficiência da juventude. Segundo a dra. Elaine Pessuto, médica veterinária e diretora do CETAC - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária, é nesta fase de vida que a realização de exames deve ser mais constante. "Os check ups devem ser feitos em qualquer idade, porém a frequência com o passar do tempo se altera, à medida que nós seres humanos envelhecemos aumentamos os cuidados com a saúde e o mesmo deve ser feito com os pets. Dessa forma conseguimos descobrir doenças crônicas precocemente e tratar a tempo", revela a médica veterinária.

 

A regularidade depende da predisposição racial ou da existência de alguma doença, mas em caso de animais hígidos, o recomendado é pelo menos a cada seis meses.

 

Cuidados com a nutrição, com o funcionamento do coração, do sistema hepático e renal devem ser encarados como uma necessidade neste período da vida do animal.  "Os nossos velhinhos com o passar dos anos vão adquirindo necessidades diferentes, seus órgãos vão envelhecendo e suas funções podem ficar deficientes. Muitos animais possuem problemas de coluna ou articulares, que doem mais no inverno, assim toda e qualquer mudança no comportamento ou mesmo na rotina deve ser comunicado ao veterinário que acompanha seu animal, assim ele será capaz de orientar quanto ao manejo ou até mesmo ao tratamento de problemas crônicos", alerta a dra. Elaine Pessuto.

 

Embora benéficos para a saúde em qualquer idade, os exercícios devem sofrer alterações, principalmente em casos de animais com problemas ortopédicos.   "Cães com problemas ósseos, articulares e cardíacos devem ter sua condição avaliada e sua disposição também. O cão não deve ser forçado ou exposto ao excesso. O passeio não é bom somente para o corpo, mas também para a mente do cão, ele se distrai, observa o entorno, cheira o chão, isso tudo o estimula e mantém seu cérebro atuante", ressalta.

 

 

Quantos às mudanças na rotina de bichos com idade avançada a dra. Elaine alerta que deve ser alterado somente o que está relacionado a algum tipo de tratamento, pois cães são animais que gostam de sua rotina e mudanças bruscas os afetam gerando estresse. "Assim quando descobrimos algum problema que precisaremos alterar o manejo é interessante fazer gradativamente para que o fator estresse seja diminuído", ressalta.

 

Além dos exames e da rotina de exercícios, a alimentação é outro fator que merece atenção em pets senis. "É importante evitar fontes excessivas de gordura e proteína principalmente procurar trocar os petiscos industrializados por frutas e nunca dar doces. Lembrar sempre que cada individuo é único e como tal deve ser acompanhado, ou seja, existem dietas, tratamentos e manejo específicos para cada problema. Devemos buscar o envelhecimento saudável do nosso cão ou gato. Isso é mais uma prova de amor e cuidado", finaliza a dra. Elaine Pessuto.  

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br

 

Informações à Imprensa

PMP Press

Tel.: (11) 3801-9103

Cel.: (11) 99936-4194/ 9 9187-3994

e-mail: pmpassessoria@uol.com.br


Nenhum comentário: