quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

KIU-KIU, a coruja! (alo helo) RJ


---------- Mensagem encaminhada ----------
De: "Heloisa Borges (alo_helo)" <heloisabc@gmail.com>
Data: 27/02/2013 10:46

Amigos, conversando com algumas pessoas todas me pediram fotos da amiga-coruja bebê, resolvi enviar a todos.

Tive o privilégio de conviver durante quase 60 dias com esta criatura maravilhosa.

Foi encontrado no chão, o empregado achou que fosse um cocô mofado e não deu muita atenção, depois que se mexeu ele pode ver que era uma ave bebê.

Ainda pequenina tivemos dúvida se seria uma coruja ou um gavião, mas como os primeiros cuidados seriam iguais ele se alimentou, estava faminto e foi colocado numa caixinha de transporte com algodão e um bichinho de pelúcia.

Coruja bebe água, ela até banho tomava, muito engraçadinha.

Mando este e-mail não para louvores, não sou chegada, mando pq li muita coisa errada sobre corujas, cuidados errados, li muitas informações tristes sobre animais.

Agradeço ao dr. Miguel toda a orientação sobre como cuidar dela, comer cartilagem, beber água, pegar sol, regurgitar bolinhas, etc

Ela foi resgatada de olhos fechados.
Comia inicialmente na boquinha com pinça.
Cresceu muito em 2 semanas.
Aprendeu a comer sozinha.
Aprendeu a voar.
Viveu no meu quarto alçando vôos e dormindo e parando onde quisesse.
Ficava ``solta`` 24 horas.
Tem um grande instinto de proteção e preservação.
Nos cumprimentava com pios (kiu!) e voando sobre nós.
Escolheu o seu momento de ir embora.
Alçou vôo para a parte externa da casa à noite do dia 28 de janeiro.
Toda sua penugem estava trocada, a última foi a do peito, sua cauda estava enorme.
Seu vôo é suave e não faz barulho.
Veio nos visitar durante uma semana após sua saída de casa, não entrou mais na casa, mas ficou num coqueiro pertinho da casa e no fio do varal em frente à janela de meu quarto, foi quando a vi pela última vez, mas ainda escutamos seus pios na noite ou queremos acreditar
nisto.

Fui abençoada por ter convivido com esta criaturinha esplêndida, que retornou à natureza por sua própria vontade e lógico uma janela aberta de propósito.

Quero registrar aqui este relato pq sou completamente favorável ao animal, desde que possível viver em seu habitat.

Foi o primeiro silvestre que cuidei e cumpri o meu objetivo, reintegrá-la à natureza, dúvidas foram muitas, preocupada fiquei, mas emocionada,  feliz e muito, muito saudosa!

Beijos a todos.

Helô.

Nenhum comentário: