domingo, 27 de outubro de 2013

Lindos filhotes para adoção - Sorocaba / SP

Dois lindos machinhos para adoção, aproximadamente 4 meses, estão vermifugados, aparentemente ficarão de porte médio. Contato com Juliana através do e-mail ju-rh@hotmail.com ou Viviane através do telefone (15) 996044048.
 
Obrigada!
           

terça-feira, 8 de outubro de 2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Gato Perdido na Vila Fiori - Sorocaba



Sumiu na segunda dia 12/08.

Contato com Maísa: 3326-7473 ou Henrique: 8172-1562
Sumiu na Vila Fiori / Vila Olímpia
Gato macho, dócil, castrado.
 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Confira dicas para identificar e tratar doeças oculares em cães e gatos

A saúde ocular de cães e gatos merece atenção e cuidados especiais
 
 
 

Catarata, úlcera de córnea e o glaucoma são algumas das doenças que afetam os pets, como revela a veterinária Elaine Pessuto, do CETAC,

 

Os olhos dos animais são delicados e podem apresentar irritabilidade por coceira ou em decorrência de algum elemento externo.  Os cuidados com a higienização da área e a atenção a qualquer sinal de alteração devem ser frequentes. "Os problemas oculares podem aparecer em qualquer idade, algumas patologias como a catarata são mais comuns em animais idosos, mas mesmo a catarata pode também aparecer em animais jovens e até filhotes", revela a Dra. Elaine Pessuto, médica veterinária, professora e diretora do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária. 

 

Mas quais sinais indicam que cães e gatos estão com algum problema de visão? Segundo a veterinária é possível notar alterações na aparência dos olhos, como excesso de secreção ocular, alteração na cor da secreção ocular, opacificação dos olhos, vermelhidão excessiva na esclera (parte branca dos olhos), além de incômodo e dor, que são demonstrados pelos animais através de fotofobia, piscadelas, tentativas de passar as patinhas nos olhos, raspar os olhos no chão, tapetes e sofás. "Podemos ainda perceber que mesmo em ambientes conhecidos os animais começam a ter dificuldade durante a locomoção batendo em móveis, quinas e paredes, mas essas falhas na visão podem ser notadas em fases iniciais como uma insegurança do animal em saltar de locais que ele estava habituado, principalmente no escuro ou na penumbra", esclarece a dra. Elaine.

 

Algumas raças de cães são mais suscetíveis e predispostas às determinadas doenças oculares. "Em animais jovens e ou de olhos grandes (pugs, bulldogs, shih tzu, lhasas, pequinês) as doenças mais comuns são as de origem traumática, como as úlceras de córneas, devido ao grau de atividade dos filhotes e a conformação dos olhos dessas raças. Nessas raças também é comum a saída de uma glândula que fica abaixo da pálpebra (o nome desse problema é protusão da glândula da terceira pálpebra ou cherrie eye como denominam os americanos). Já nos idosos é comum a catarata, os poodles são bastante predispostos, mas qualquer cão pode apresentar a catarata senil.  Em gatos as doenças traumáticas são mais comuns", alerta a veterinária.

 

Os cães das raças shih tzu, lhasa, pugs e bulldogs são predispostos a protusão da glândula da terceira pálpebra, que também é conhecida como protusão da glândula de harder ou cherrie eye. Essa doença se caracteriza por uma 'bolinha' no canto interno do olho, esse problema é tratado cirurgicamente. A cirurgia visa reposicionar a glândula no lugar e jamais retirá-la, pois ela é responsável por parte da produção do filme lacrimal.

 

Além de iniciar o tratamento adequado ao estado de saúde de seu animal, o tutor também deve adotar algumas mudanças em casa para garantir a locomoção segura e qualidade de vida de cães e gatos que estão com problemas oculares.  "O ideal é manter os móveis no mesmo lugar em casos de perda de visão aguda ou gradativa, pois contamos com a memória espacial dele a fim de reduzir as possibilidades de impacto, mas medidas como colocar protetores de silicone nas quinas são extremamente válidas", orienta a diretora do CETAC.

 

Confira dicas valiosas da dra. Elaine Pessuto para identificar e tratar corretamente catarata,  úlcera de córnea e o glaucoma:

 

√ Catarata: pode ser notada pelo tutor através da opacificação da córnea, nota-se que os olhos vão ficando esbranquiçados e o animal começa a apresentar dificuldade de enxergar. O tratamento é cirúrgico, mas nem toda catarata é passível de cirurgia, por isso é importante uma avaliação completa por um veterinário especialista.

 

√ Úlceras de córnea: são extremamente dolorosas, assim é possível observar fotofobia, secreção ocular, tentativas de tocar os olhos. O tratamento é clínico na maioria das vezes com a utilização de colírios e analgésicos, em casos mais extremos pode ser feito também uma manobra cirúrgica.

 

√ Glaucoma:  também é uma patologia muito dolorosa, nota-se um aumento do tamanho do olho e na maioria dos casos uma protusão do globo, ou seja, parece que ele vai 'saltar' das órbitas. Nesse caso também o tratamento é clínico com colírios, em casos extremos o tratamento também pode ser cirúrgico.

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Gatinha perdida no Jd. Sandra - Sorocaba / SP

Gatinha perdida no Jd Sandra, estava de coleira vermelha com sininho, atende por "Mia". Qualquer informação por favor avisar Elaine: ela.cris.lima@hotmail.com ou (15) 9707-0138


domingo, 14 de julho de 2013

Gatinhos para adoção - Sorocaba

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Juliana Carolina <ju-rh@hotmail.com>
Data: 14 de julho de 2013 21:58
Assunto: Gatinhos para adoção - Sorocaba


Gatinhos para adoção! 3 fêmeas e 1 macho, com aproximadamente 4 meses e vermifugados. Contato comigo através deste e-mail (ju-rh@hotmail.com) ou com Viviane através do telefone 9604-4048

Cães grandes em apartamento: dicas para manter o animal saudável em pouco espaço

Cães de grande porte podem viver em apartamento?

 

Confira algumas dicas e descubra como manter seu cão feliz e saudável apesar do pouco espaço.

 

 

A verticalização das cidades e o espaço cada vez mais reduzido das residências estão mudando o estilo de vida dos brasileiros. O que não muda, no entanto, é a vontade de ter uma companhia canina. E nada impede de escolher um amigo canino de grande porte.  Os cães de grande porte podem viver com qualidade de vida em apartamentos desde que suas principais necessidades sejam respeitadas e atendidas, conforme orienta a médica veterinária Elaine Pessuto, diretora do CETAC - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária.   "Nada impede de ter cães grandes, porém é importante entender suas necessidades, saber se a raça requer exercícios, ou seja, se ele tem muita energia para queimar, pois nesses casos é necessário passeios diários com rotina de brincadeiras. Certas raças como boxer e golden conseguem se adaptar a vida em apartamentos, desde que tenha a prática diária de exercício", orienta.

 

De acordo com a veterinária, o sedentarismo é um problema e isso faz com que, tanto os cães de grande porte quanto os de pequeno porte, engordem. Independente do porte e do local em que mora o cão, ele deve ser estimulado a brincar sempre.

 

A quantidade e frequência de atividades imposta ao cão regularmente depende do quanto de energia o animal tem para queimar. Algumas raças são mais agitadas, já os filhotes precisam de mais exercício e nesses casos o mínimo de dois passeios por dia é o recomendado, mas este passeio deve ser efetivo, o que significa que ele tem que voltar cansado de tanto brincar. "Cães são animais que gostam de rotina, esperam por ela. Quando ela é mudada gera ansiedade, portanto escolham horários aonde a chance de imprevistos seja menor, assim evitamos falhar com eles", orienta a veterinária.  

 

Para que os cães possam viver bem e com qualidade de vida apesar do pouco espaço, a dra. Elaine Pessuto recomenda: passeios diários e brinquedos que o estimulem dentro de casa. Muitas vezes pensamos que brinquedo para cães deve ser bolinha, que requer espaço para correr e apanhar, mas hoje existem no mercado quebra cabeças para cães que estimulam o cérebro e divertem.

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Procuramos a famíla do LORD - Ele estava perdido no Largo Marrom/Santa Rosa - É um cão adestrado

Amigos,

Peço ajuda para tentar localizar a família do LORD (nome provisório).
Então peço que vocês repassem este email para as clinicas veterinárias que
cuidam dos seus animais ou os Pet shop (Em Niteroi).
Ou repassem para os amigos de Niteroi.

Este cachorro, com certeza, tem uma família , e deveria frequentar alguma
clinica para pelo menos vacinar.
Se puderem me retornam o email  informando qual a clinica que vocês
repassaram.
Histórico:

Este cachorro foi resgatado no Largo Marrom/Santa Rosa no dia 19/06.
Ele é muito calmo, não faz alarde, não late, é educado, um "Lord",  tudo
indica que foi adestrado: ele dá a patinha para cumprimentar, deita, fica de
barriga prá cima prá pedir carinho. Ele está com a pelagem boa, unhas
cortadas, portava uma coleira anti-pulgas , portanto não é um cachorro de
rua.

Ele está muito triste.
Vamos ajudar este cão a reencontrar sua família.

Caso não se consiga encontrar a familia em 15 dias, ele irá para adoção (o
que é uma pena).

Contato: mreltz@terra.com.br  (Marcia)

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Fogos de artificio X Cães - Evite acidentes

Jogos X Fogos de Artifício

Evite acidentes com animais que têm medo de barulho

 

 

Os fogos de artifício utilizados durante as comemorações dos jogos na Copa das Confederações FIFA 2013, que acontece até 30 de junho, podem ocasionar vários transtornos aos animais e seus tutores. O barulho dos fogos de artifícios amedronta muitos animais de estimação e ocasiona problemas sérios como quedas, enforcamentos ou até mesmo fugas.

 

"A maioria dos animais tem medo de fogos e rojões. O tutor deve se precaver de possíveis acidentes relacionados ao estresse gerado pelo excesso de barulho", avisa a dra. Elaine Pessuto, diretora clínica e coordenadora do curso de Auxiliar Veterinário do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia.

 

Uma dica valiosa é manter os bichos em locais seguros, ou seja, nada de locais altos, de onde eles podem saltar como sacadas ou lajes. Outro perigo são os portões com lanças, portas de vidro e correntes.

 

"Muitos tentam fugir e acabam se ferindo em portões, lanças ou mesmo se enforcando nas cordas e correntes. Os animais precisam se sentir seguros, assim é necessário mantê-los abrigados em locais aonde eles possam se esconder, muitos gostam de ficar embaixo de móveis ou escadas, mas tente não deixá-los sozinhos", ressalta a veterinária.

 

O ouvido humano pode captar sons que estão numa faixa de vibração entre 20 e 20.000 ciclos por segundo, enquanto que os cães alcançam sons entre 18 e 40.000 ciclos por segundo, portanto para eles os fogos geram um barulho realmente insuportável, deixando muitos apavorados. " Tapar as orelhas do cão durante o jogo com algodão pode até ajudar, mas é um método muito tênue se levarmos em consideração a potência auditiva deles", avalia a dra. Elaine.

 

Com um pouco de paciência e tempo é possível adotar métodos de adestramento para dessensibilizar o animal. "Em certos casos a fobia e o estresse gerados são tão intensos que é necessário fazer uso de medicamentos que devem ser prescritos e monitorados pelo médico veterinário", acrescenta a veterinária.

 

Atenção,  durante os fogos:

 

- Evite deixar seu amigo sozinho;

 

- Crie um abrigo: se ele ficar sozinho, deixe-o em um local seguro;

 

- Evite fugas: mantenha portões e portas fechados;

 

- Evite enforcamentos: não o deixe preso por coleiras e guias;

 

- E lembre-se: Ele precisa se sentir protegido;

 

 

  

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br


terça-feira, 4 de junho de 2013

Castração: os benefícios do procedimento em cães e gatos


CASTRAÇÃO:

 

Veterinária fala sobre os benefícios do procedimento que ainda gera

 polêmicas e dúvidas   

 

 

            A castração continua sendo motivo de polêmica entre alguns tutores de cães e gatos.  Embora muitos conheçam os benefícios da cirurgia, outros ainda acreditam que seja um ato de mutilação. "É importante entender que os benefícios da castração são enormes. Nas fêmeas, quanto mais precoce for a castração menores as chances de desenvolver tumores mamários; evita ainda infecções uterinas e as crias indesejáveis. Nos machos, diminuiu os riscos de hiperplasia mamária, de câncer testicular, além de reduzir as demarcações de território", alerta a médica veterinária Elaine Pessuto, diretora do CETAC - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária.

Nas fêmeas, tanto de gatas como cadelas, a castração é chamada ovarisalpingohisterectomia (OSH) e apesar de ser uma cirurgia de rotina não é tão simples, porque é cavitária, ou seja, retiram-se os ovários e o útero. "Existe risco de infecção e hemorragia, por isso deve ser feita com todo cuidado e critério, tanto cirúrgico quanto anestésico", aponta a dra. Elaine Pessuto.  

Nos machos, cães e gatos, a castração é chamada orquiectomia. A cirurgia é menos invasiva, não é uma abdominal, pois os testículos estão localizados na bolsa escrotal que é pendular e fora da cavidade, mas, como todo procedimento cirúrgico, deve ser realizada com rigoroso controle cirúrgico e anestésico.

Método definitivo de esterilização, a cirurgia de castração pode ser realizada em qualquer fase da idade reprodutiva do animal, porém quanto mais precoce melhor. "Após o procedimento, o cio das fêmeas é interrompido, assim como todos os seus sinais (sangramento e a vulva edemaciada). Nos machos, a urina por demarcação tende a diminuiu ou desaparecer, muitos podem ainda continuar a montar em outros animais e até se masturbar, por excesso de libido ou comportamento dominante. Em ambos os sexos a agressividade pode diminuir", explica a médica veterinária.

Todo procedimento cirúrgico-anestésico é considerado um risco ao animal. "Portanto o ideal é que todo animal que vai ser submetido a qualquer procedimento cirúrgico seja avaliado por um médico veterinário previamente; após o exame físico, o clínico faz os exames pré cirúrgicos que ele achar necessário para aquele paciente, assim como fazemos quando nós vamos ao médico", orienta a dra. Elaine Pessuto.  

Segundo a dra. Elaine Pessuto muitas pessoas ainda resistem ao procedimento, pois acreditam em mitos como achar que o macho castrado vai ficar um bobão. "Nada disso, ele vai continuar correndo, brincando e será ativo desde que estimulado sempre, lógico que aquele cão que corria na rua atrás da fêmea, não mais vai correr, mas vai continuar correndo atrás da bolinha", explica.  

Outro mito apontado pela veterinária é de que as fêmeas precisam de pelo menos uma cria para evitar problemas de saúde. "Essa máxima já foi derrubada de acordo com as pesquisas mais recentes, sabe-se que o que impede problemas é a castração precoce, antes do primeiro cio", alerta.  

E para a afirmação de que os bichos engordam após a cirurgia, a médica finaliza: sim, os cães e gatos podem engordar uma média de 10% do peso, mas esse percentual tende a diminuir quando é feito precocemente. Quanto mais cedo, menores são as chances de ganho de peso.

Benefícios da castração:

·     Reduz o risco de tumores de mama e próstata

·     Elimina a gravidez psicológica (pseudociese) nas fêmeas

·     Elimina o risco de uma piometra (doença uterina apresentada após o cio -  ocorre em cerca de 60% das fêmeas não castradas)

·     Nos gatos há a diminuição do hábito de urinar nos objetos da casa para demarcar território;

·     Evita gravidez indesejada, não ocorre mais o cio nem o sangramento nas fêmeas

·     Animais se tornam mais saudáveis e sua expectativa de vida aumenta, pois há menor chance de doenças reprodutivas

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br

 

Informações à Imprensa

PMP Press

Tel.: (11) 3801-9103

e-mail: pmpassessoria@uol.com.br

 


terça-feira, 7 de maio de 2013

Cães e gatos idosos: cuidados especiais a partir dos 5 ou 7 anos

Você sabia que a partir dos 5 e 7 anos seu pet

já é idoso?

 

Com a idade, cães e gatos precisam de cuidados especiais, pois seus órgãos não funcionam como antes

 

 

Aos setes anos de idade gatos e cães de pequeno e médio porte já são considerados senis. Para as raças gigantes, a senilidade chega mais cedo, a partir dos cinco anos de vida.  Assim como ocorre com a saúde dos humanos na terceira idade,  cães e gatos idosos necessitam de cuidados especiais, pois seus órgãos não funcionam com a mesma eficiência da juventude. Segundo a dra. Elaine Pessuto, médica veterinária e diretora do CETAC - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária, é nesta fase de vida que a realização de exames deve ser mais constante. "Os check ups devem ser feitos em qualquer idade, porém a frequência com o passar do tempo se altera, à medida que nós seres humanos envelhecemos aumentamos os cuidados com a saúde e o mesmo deve ser feito com os pets. Dessa forma conseguimos descobrir doenças crônicas precocemente e tratar a tempo", revela a médica veterinária.

 

A regularidade depende da predisposição racial ou da existência de alguma doença, mas em caso de animais hígidos, o recomendado é pelo menos a cada seis meses.

 

Cuidados com a nutrição, com o funcionamento do coração, do sistema hepático e renal devem ser encarados como uma necessidade neste período da vida do animal.  "Os nossos velhinhos com o passar dos anos vão adquirindo necessidades diferentes, seus órgãos vão envelhecendo e suas funções podem ficar deficientes. Muitos animais possuem problemas de coluna ou articulares, que doem mais no inverno, assim toda e qualquer mudança no comportamento ou mesmo na rotina deve ser comunicado ao veterinário que acompanha seu animal, assim ele será capaz de orientar quanto ao manejo ou até mesmo ao tratamento de problemas crônicos", alerta a dra. Elaine Pessuto.

 

Embora benéficos para a saúde em qualquer idade, os exercícios devem sofrer alterações, principalmente em casos de animais com problemas ortopédicos.   "Cães com problemas ósseos, articulares e cardíacos devem ter sua condição avaliada e sua disposição também. O cão não deve ser forçado ou exposto ao excesso. O passeio não é bom somente para o corpo, mas também para a mente do cão, ele se distrai, observa o entorno, cheira o chão, isso tudo o estimula e mantém seu cérebro atuante", ressalta.

 

 

Quantos às mudanças na rotina de bichos com idade avançada a dra. Elaine alerta que deve ser alterado somente o que está relacionado a algum tipo de tratamento, pois cães são animais que gostam de sua rotina e mudanças bruscas os afetam gerando estresse. "Assim quando descobrimos algum problema que precisaremos alterar o manejo é interessante fazer gradativamente para que o fator estresse seja diminuído", ressalta.

 

Além dos exames e da rotina de exercícios, a alimentação é outro fator que merece atenção em pets senis. "É importante evitar fontes excessivas de gordura e proteína principalmente procurar trocar os petiscos industrializados por frutas e nunca dar doces. Lembrar sempre que cada individuo é único e como tal deve ser acompanhado, ou seja, existem dietas, tratamentos e manejo específicos para cada problema. Devemos buscar o envelhecimento saudável do nosso cão ou gato. Isso é mais uma prova de amor e cuidado", finaliza a dra. Elaine Pessuto.  

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br

 

Informações à Imprensa

PMP Press

Tel.: (11) 3801-9103

Cel.: (11) 99936-4194/ 9 9187-3994

e-mail: pmpassessoria@uol.com.br


terça-feira, 16 de abril de 2013

Curso de Auxiliar Veterinário - CETAC - início 20/maio

Abertas inscrições para a turma de Maio/13 do Curso de Auxiliar Veterinário do CETAC, agora com acesso

à vídeo-aulas

 

 

Destinado aos proprietários, amantes de animais e pessoas que trabalham na área pet, curso conta com aulas teóricas, práticas e vídeo-aulas

 

 

Já estão abertas as inscrições para a turma de Maio/2013 do Curso de Auxiliar Veterinário do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária (SP).  O curso se destina a proprietários e amantes de animais, além de pessoas que trabalham no segmento pet, especialmente pet shops. As inscrições estão disponíveis através do site www.cetacvet.com.br. Com turmas no período da manhã e noite, as aulas iniciam-se em 20/05/2013.

 

Além de tornar-se apto para atuar na rotina clínico-hospitalar, o aluno recebe conhecimento e treinamento em aulas teóricas e práticas de Primeiros Socorros e ainda tem acesso às vídeo-aulas para assistir em qualquer lugar e horário de sua preferência, para relembrar e reforçar o aprendizado. Entre os procedimentos abordados estão queimaduras, picadas em geral, reanimação neonatal, fraturas, convulsões, intoxicações alimentares, envenenamento, ingestão de corpos estranhos, asfixia, hemorragia, parada cardiorrespiratória, afogamento, entre outros. Assim como as crianças, os animais de estimação não possuem noção de perigo. Curiosos, estão sempre farejando uma novidade, uma brincadeira, que por mais ingênua que pareça, pode lhes custar a vida.

 

O Curso de Auxiliar Veterinário ensina desde os procedimentos básicos em casos de feridas, como assepsia e curativos, até o preparo cirúrgico, nutrição, manejo obstétrico e neonatal, instrumentação e paramentação. Também são abordados temas como vacinação, vermifugação, doenças específicas e seus cuidados especiais, manejo anestésico, pacientes especiais (neonatal, pediátrico, geriátrico, crônico), além de outros recursos fundamentais para o dia a dia de quem possui um animal de estimação ou é profissional da área veterinária.  

 

"A profissão de auxiliar veterinário é reconhecida pela Classificação Brasileira de Ocupações, do Ministério do Trabalho e Emprego. O curso ministrado no CETAC é um curso livre e tem como finalidade desenvolver os conhecimentos profissionais do aluno, para que possa auxiliar o médico veterinário na rotina clínica. Mas o curso também é destinado aos amantes de animais que pretendem se aprimorar nos cuidados com seu pet", revela a médica veterinária Elaine Pessuto,  idealizadora do curso e diretora do CETAC - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária.  Com média salarial estimada em R$ 742,00 no Município de São Paulo, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, o auxiliar veterinário pode trabalhar para médicos veterinários, clínica, hospital, laboratórios, todos na área de saúde veterinária e além do piso salarial terá direito a adicional noturno de 50%, horas extras de 100%, cesta básica, dentre outros benefícios.

 

 "Como nossos alunos são tutores, donos de canis, funcionários de pets e estudantes em busca de uma nova carreira, a demanda pelo curso em todo o país é grande e para atendê-la de forma eficaz e qualificada além do curso presencial, também oferecemos com exclusividade o primeiro curso de Educação à Distância de Auxiliar Veterinário, que recebe interessados de todo o país" revela Elaine Pessuto.

 

Além de cuidar melhor dos animais com os quais convivem no dia a dia, os alunos formados pelo curso de auxiliar veterinário adquirem mais uma profissão. Após o término do curso, o CETAC fornecerá ao aluno um diploma, sendo que este poderá atuar como Auxiliar Veterinário, pois não há exigência legal para essa profissão, que pode ser exercida livremente. O Auxiliar Veterinário é uma profissão reconhecida pela Classificação Brasileira de Ocupações, do Ministério do Trabalho e Emprego (CBO 5193-05). O CETAC está inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV/SP), sob nº 26749/J.

 

 

Serviço:

Curso de Auxiliar Veterinário

Inscrições pelo site www.cetacvet.com.br

Informações: CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Tel.: (11) 2305-8666

Local do Curso: Rua Castro Alves, 284 - Aclimação - São Paulo – SP (próximo ao Metrô Vergueiro)

 

De 20/05/2013 até 28/06/2013 (segunda à sexta-feira)

Turma manhã = 10:00 às 13:00

Turma noite = 19:30 às 22:30

Início do curso: 20/05/2013

Investimento:

- Cartão de Crédito: R$ 1.600,00 em até 10 parcelas de R$ 160,00

- Cheques pré-datados: Matrícula de R$ 100,00 (boleto bancário) + 6 Cheques de R$ 250,00

- Boleto bancário à vista: R$ 1.440,00 (10 % desconto)

 

 

Informações à Imprensa

 

PMP Press

Tel.: 11 3801-9103

Cel.: (11) 99936-4194 / 99187-3994

e-mail: pmpassessoria@uol.com.br

 
 
 
 
 

domingo, 31 de março de 2013

Cadastro de animais para doação - feira pet sorocaba

Amigos, boa tarde!

A Feira Pet Brasil/Sorocaba 2013 será realizada nos dias 19, 20 e 21
de abril, no Clube União Recreativo Campestre e promete aquecer o
mercado pet.

Além de importante balcão de negócios, representa a oportunidade para
dezenas de animais carentes de encontrar uma família do bem.

A ONG GAMAH, responsável pelas doações, está cadastrando animais. Para
participar do evento, os animais devem estar vermifugados, vacinados e
castrados, limpos e sem pulgas ou carrapatos ou com problemas de pele.
No caso de filhotes será solicitado atestado de saúde assinado por
veterinário.

Para cadastrar um animal na feira o responsável deve escrever para
contato.gamah@gmail.com informando nome, idade, porte e temperamento
do animal.

Já quem tiver interesse em adotar um amigão deve comparecer ao evento
portando documento de identificação com foto e comprovante de
endereço. Após entrevista, deverá assinar Termo de Adoção e
Responsabilidade e receberá orientações sobre guarda responsável de
animais domésticos com médico veterinário. Recomenda-se levar guia e
coleira adequada ao porte do animal que pretende adotar.

A feira acontecerá nos seguintes horários:
Dia 19/04, sexta-feira, 19h às 23h
Dia 20/04, sábado, 14h às 22h
Dia 21/04, domingo, 10h às 22h

Atenciosamente,
Equipe Gamah
contato.gamah@gmail.com

p.s.: Somente poderão participar do evento animais previamente cadastrados.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Animal de estimação x bebê: Dicas valiosas para preparar o pet para a chegada do primeiro filho

ANIMAL DE ESTIMAÇÃO X  BEBÊ

 

Dicas valiosas para preparar o pet para a chegada do primeiro filho

 

 

Até a chegada do primeiro filho, o animal de estimação era o centro das atenções. De repente, o bebê passa a ser alvo de todos os mimos e carinho, e o bichinho de estimação passa a ser colocado em segundo plano ou até mesmo negligenciado. Portanto, pequenas mudanças devem ser introduzidas antes mesmo da chegada do bebê, para que o bichinho não se sinta preterido. 

 

"É importante lembrar que o animal estava antes do bebê, assim ele ou eles se ressentirão por não terem mais toda a atenção, isso não significa que esses indivíduos sejam de índole difícil ou mesmo temperamentais. É uma desestruturação em toda a dinâmica emocional da família", alerta a médica veterinária e diretora do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária, Elaine Pessuto, que já está preparando seus quatro cães e cinco gatos para a chegada do primeiro filho, em maio de 2013.

 

E nem pensar em excluir o animal de estimação dos preparativos para a chegada do novo membro da família.  Impedir completamente o acesso do animal ao futuro quarto do bebê, só vai gerar ainda mais curiosidade e ansiedade. Alguns animais podem fazer de tudo para tentar entrar no quarto da criança e quando conseguirem são capazes de fazer coisas somente para chamar a atenção, como urinar dentro do quartinho, destruir objetos ou móveis.

 

 "Quando iniciamos os preparativos para receber o bebê, devemos fazer com que o animal participe do processo. Sei que a maioria das mães fica bastante preocupada com a questão da higiene e dos cuidados sanitários, mas é importante manter o animal vacinado, vermifugado e sempre de banho tomado, feito isso ele pode ter acesso aos espaços destinados ao bebê", orienta.

 

O bichinho de estimação pode apresentar mudanças de comportamento desde o momento que percebe a gestação. " Muitos animais notam que suas 'mães' ou tutoras estão diferentes, afinal durante a gestação nosso odor se altera, nossa forma física fica diferente e também nosso padrão vibratório. Alguns ficam mais arredios, outros mais curiosos e outros ainda mais apegados. É importante, nessa fase, manter o animal junto, recebendo carinhos e já mostrando que mudanças vão acontecer. Para animais que costumam deitar na barriga, tentar fazer com que eles percebam os movimentos do bebê e já dizer que o nenê está ali", adverte.

 

Ciúmes, curiosidade, medo ou ainda agressividade são alguns dos diferentes tipos de comportamentos que os animais de estimação podem apresentar.  De acordo com a dra. Elaine, existem diferentes métodos de abordagem para evitar que o animal fique com ciúmes. "O importante é nunca fazer do fato um evento, ou seja, a abordagem deve ser o mais natural possível para evitar traumas e situações estressantes", destaca.

 

Para evitar que animal se sinta preterido e fique ressentido com a chegada da criança é importante fazê-lo entender que a família vai ganhar um novo membro e não um concorrente, alguém que vai roubar o seu lugar. "Quando o bebê ainda estiver na maternidade, o pai deve levar para casa uma peça de roupa usada pelo bebê e entregar para o cão ou gato, para que o animalzinho sinta o cheiro, assim quando a criança chegar já terá seu cheiro reconhecido", recomenda.

 

Após a introdução, o próximo passo é preparar o pet para receber seu novo irmãozinho ou irmãzinha. "Ao entrar com o bebê, apresente a criança, se abaixe na altura do cão e deixe que o animal o cheire, comece pelo pezinho e vá identificando a reação do animal, se ela for positiva permita que ele vá cheirando cada vez mais. Depois disso leve o bebê para o quarto e chame o cão, com palavras em tom carinhoso explique que este é um 'irmãozinho (a)' e que ali é o lugar dele", aconselha.

 

 

Outra dica valiosa, durante o processo de adaptação, é associar a criança a situações agradáveis. "Quando notar que o cão ficou triste, pois espera uma atenção que não teve, o chame para participar. Ao amamentar, por exemplo, coloque o cão próximo e traga um brinquedo ou petisco para esse momento, assim enquanto a mãe amamenta o seu bebê, o cão estará feliz com a atenção e associará positivamente", sugere.

 

Para animais muito ansiosos, ciumentos ou possessivos, é recomendado entrar em contato e conversar com o veterinário de confiança, pois existem diferentes tratamentos alternativos com associação de florais e fitoterápicos para preparar o animal para essas mudanças.

 

Se em algum momento algo inesperado ocorrer, como o animal latir, rosnar e até tentar avançar na criança, é importante manter a calma conforme alerta a dra. Elaine. "Obviamente retire a criança do alcance do animal em caso de tentativa de agressão, mas se foi um latido, repreenda sem gritar, diga que isso assusta o bebê e tente fazer associações positivas, com o uso de petiscos ou brinquedos que devem ser associados ao bebê e não ao adulto envolvido. Devemos evitar as reações exageradas, como por exemplo, gritos, sustos, medos exacerbados porque os animais percebem essas reações e vão agir com insegurança e no caso dos dominantes vão tentar se sobrepor, é importante manter sempre a tranquilidade e a naturalidade", adverte.

 

Manter a rotina do animal também faz parte do processo de introdução do bebê, ou seja, evite mudar hábitos como a frequencia de passeios e brincadeiras. "A rotina do cão deve ser mantida, sei que tudo muda ou no mínimo se altera, mas é importante lembrar que toda e qualquer mudança gera ansiedade e estresse e o cão pode exacerbar essa vibração de forma negativa", finaliza.

 

 

Dra. Elaine Pessuto - CRMV 20060

CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária

Rua Castro Alves, nº 284 – Aclimação

Tel.: (11) 2305-8666

www.cetacvet.com.br

 

Informações à Imprensa

PMP Press

Tel.: (11) 3801-9103

Cel.: (11) 9 9936-4194 / 9 9187-3994

e-mail: pmpassessoria@uol.com.br

 


segunda-feira, 11 de março de 2013

CURSO DE CROMOTERAPIA PARA USO EM ANIMAIS


 

- Cursos à distância:

- Curso de Florais de Bach para Uso em Animais;

- Curso de Florais de Bach para Uso em Humanos;

- Curso de Cromoterapia para Uso em Animais;

- Curso de Cromoterapia para Uso em Humanos;

- Curso de Aromaterapia para Uso em Animais;

- Curso de Aromaterapia para Uso em Humanos;

- Curso de Cristaloterapia para Uso em  Humanos;

- Curso de Cristaloterapia para Uso em Animais;

- Curso de Fitoterapia para Uso em Humanos;

- Curso de Fitoterapia para Uso em Animais;

- Curso de Terapia de Regressão a Vivências Passadas;

 

Início – estou aceitando inscrições

Curso em 09 módulos e 09 questionários

 

 

 

                                                       

                                           

CURSO DE CROMOTERAPIA PARA USO EM ANIMAIS

 

Criado e ministrado por Martha Follain – CRTH 0243


   Cromoterapia é o tratamento que emprega as cores para manter ou alterar as vibrações dos corpos, tendo como consequência saúde e bem estar. A Cromoterapia restaura e regenera o equilíbrio bioenergético dos campos eletromagnéticos através do uso das cores do espectro solar. É o tratamento que se faz nos corpos físico, emocional, mental e espiritual, utilizando a energia luminosa colorida, para restabelecer o equilíbrio dos chakras e do campo bioenergético dos animais humanos, dos animais não humanos e das plantas.

O ser vivente não é composto, apenas, pelo corpo físico, pois já foi constatado, através da bioeletrografia, que existe um campo eletromagnético que envolve o corpo denso. Esse campo foi chamado de "aura" ou "campo bioplasmático".

A Cromoterapia vem sendo utilizada desde tempos imemoriais, por civilizações antigas: Egito, Índia, China, Grécia, etc., e os resultados de suas aplicações terapêuticas vêm sendo constatados.

 

 

Bioeletrografia da pata de um gato

       CRTH 0243 - CURSO APOIADO PELA ABRATH (Associação Brasileira de Terapeutas Holisticos) – abrangência nacional -  www.abrath.org   

 

 


Programa do Curso:

- Holismo;

- Terapias Não Convencionais;

- Matéria, Energia e Terapias Vibracionais;

- Terapias Vibracionais em Animais;

- Os Animais Pensam e Possuem Sentimentos;

- Saúde e Desequilíbrios nos Animais;

- Domesticação de Animais e suas Consequências;

- Conceito Energia Vital;

- Histórico da Cromoterapia;

- Aura e Chakras nos Animais;

- Corpos Energéticos nos Animais;

- Luz e Cores - Espectrologia;

- O Prisma de Newton e a Transcendência da Luz;

- Características e Propriedades das Cores;

- Equipamentos Utilizados em Cromoterapia;

- Formas de Tratamento com Cromoterapia;

- Aplicação Direta da Luz nos Animais;

- Água Cromatizada para Animais;

- Filtros Coloridos;

- Terapia Alimentar das Cores para Animais;

- Somatizações e Tratamentos com as Cores;

- Cristais e Pedras em Cromoterapia;

- Direitos dos Animais;

- O Terapeuta Holístico – Legislação.

 


Inscrições:

mfollain@terra.com.br 


Ministrante: Martha Follain.

Carga horária: 150 horas/aula



 

Para sua inscrição, envie os seguintes dados:


Nome completo.

Telefone para Contato (com DDD)

Profissão

Endereço completo para correspondência 

Bairro/Cidade/Estado

CEP

E-mail, para onde quer que os módulos e
questionários sejam enviados. Disponibilize dois e-mails.

Duração – o aluno faz seu tempo


CURSOS

1-  O aluno deverá acertar 70% das questões de cada questionário para ser aprovado. Caso assim não aconteça, receberá um questionário adicional e/ou a devolução das questões respondidas erradamente, para refazê-las;

2-  O pagamento parcelado deve ser feito da seguinte forma: ato da matrícula, 30 dias. Exemplo: se o aluno depositou a 1ª parcela no dia 15, deverá saldar as outras parcelas nos subsequentes dias 15 – não importando em que altura esteja do curso (1º, 3º, ou qualqiuer outro módulo);

3-  O certificado será enviado depois da quitação final e entrega/correção de todos os questionários respondidos;

4-  Depois da quitação final e entrega/correção de todos os questionários, o certificado setá enviado pelo correio dentro de 20 dias;

5-  O aluno que pagar o curso à vista, receberá o curso completo, logo após a quitação – mas só receberá o certificado após a entrega de todos os questionários respondidos;

6-  O aluno terá o tempo máximo de 6 meses, a partir da data da matrícula, para finalizar seu curso. Depois desse tempo, caso não o faça, o aluno perderá a quantia paga. Desejando retornar, terá que pagar e começar novo curso. Isto porque os cursos são sempre atualizados;

7- Os cursos objetivando animais são apoiados pela ABRATH (Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos - SP), e válidos em todo território nacional;