quinta-feira, 24 de maio de 2012

Notícias boas

Tripoli e Kassab anunciam o primeiro hospital público para cães e gatos

Posted: 23 May 2012 07:45 PM PDT


Concretizando uma antiga demanda do movimento de proteção animal e do vereador Roberto Tripoli (PV), o Prefeito Gilberto Kassab assinou protocolo com a Anclivepa-SP (Associação Nacional dos Clínicos Veterinários de Pequenos Animais – São Paulo) visando a implantação do primeiro hospital público de cães e gatos na cidade, em solenidade realizada no Centro de Controle de Zoonoses, na manhã de 23 de maio de 2012.



O prefeito ainda conheceu todas as dependências do CCZ, acompanhado do vereador Tripoli, que frisou o ineditismo da visita, além do secretário da Saúde Januário Montone, a gerente do órgão, Ana Claudia Mori e a diretora de Covisa, Inez Romano.
Kassab ainda assinou o decreto a ser publicado nesta quinta-feira, criando a Coordenadoria Especial de Proteção a Animais Domésticos, que deve ser subordinada diretamente ao gabinete do Secretário da Saúde.
Vereador colocou a verba no orçamento
Como se recorda, o vereador Tripoli conseguiu 10 milhões de Reais no orçamento de 2012 para a implantação do hospital público e vem lutando nos últimos meses para concretizar essa fundamental conquista. E, finalmente, foi encontrado o caminho para implantar o equipamento de forma mais rápida, através de um convênio com a Anclivepa-SP. O secretário da Saúde, Januário Montone, afirmou que até a próxima semana o convênio estará assinado.
Tripoli emocionou-se no evento, ao afirmar que "humanos e animais tem os mesmos sentimentos e dores, diferindo somente na forma de se comunicar e merece respaldo e cuidados, inclusive do poder público, com atendimento veterinário gratuito". O vereador agradeceu ainda à sensibilidade do prefeito Kassab de ousar e lançar esse serviço hospitalar pioneiro no país.

Kassab elogia atuação de Tripoli
Já o prefeito Gilberto Kassab iniciou seu discurso afirmando que precisava homenagear o vereador Tripoli, pois "poucos setores tem um representante tão estimado e tão atuante como é Tripoli para proteção animal". Kassab afirmou "admirar a persistência e a obstinação do vereador em defesa dos animais".
"Tripoli tem um plano diretor na cabeça a favor dos animais – afirmou Kassab - e tem conhecimento de causa, além de ser extremamente articulado com o Executivo e com o Legislativo, com todos os outros vereadores". Essa forma de atuação do vereador, segundo Kassab, "é muito gratificante, pois quando ele chega com uma nova proposta para os animais, já sabemos que é para melhorar o atendimento, para somar. E sabemos que a proposta vai se consolidar, pois a obstinação do Tripoli pelos animais é extraordinária".
O secretário Januário Montone anunciou o lançamento da Coordenadoria Especial de Proteção aos Animais que terá orçamento proveniente de verbas municipais, e não do SUS. Lembrou que 20% do orçamento municipal são destinados à área da Saúde e portanto os programas envolvendo animais domésticos serão financiados com recursos municipais.

Núcleo de Bem-Estar será retomado
E outra notícia muito esperada foi anunciada por Montone: ainda este ano serão retomadas as obras do Núcleo de Bem-Estar Animal que vem sendo construído no terreno do CCZ, paralisadas quando a empresa vencedora da concorrência abandonou o serviço ano passado. Agora, será feita nova licitação.
E Montone confessou ter uma esperança: de convencer a população de que a guarda responsável de cães e gatos é uma questão de cidadania, lembrando que não tem mais cabimento a cidade assistir ao abandono.
Participaram do evento, como representantes da proteção animal, Sonia Fonseca, presidente do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal; Marco Ciampi, da Arca Brasil; Guilherme Carvalho, da Humane Society International; Miriam Cabral, da APAA; e Nina Rosa Jacob, do Instituto Nina Rosa. E, pela Anclivepa, os médicos veterinários Wilson Grassi, Leandro Alves, Cauê Toscano e Denis Prata, todos da diretoria da entidade.
(Texto e fotos: Regina Macedo, jornalista ambiental)




Maurício de Sousa pede para vetar Código Florestal usando quadrinhos

Posted: 23 May 2012 06:18 PM PDT

Mauricio de Sousa criou um quadrinho em que seu famoso personagem Chico Bento pede para a presidente Dilma Rousseff vetar o novo Código Florestal. A presidente tem até a próxima sexta-feira (25) para decidir sobre os possíveis vetos ao projeto aprovado pela Câmara.

Ele começa o quadrinho dizendo "licença, dona Dirma!".


"A gente num intendi muito das coisa da lei mais intendi da nossa necessidade", fala o personagem. "I nóis percisa das mata, dos rio, dos peixe... I tá todo mundo achando qui isso vai sê mexido pra pior."
O apelo foi postado pelo cartunista em seu perfil no microblogo Twitter.

Fonte: Folha
Inquérito apura responsabilidades sobre animais abandonados em bairro de Sorocaba

Posted: 23 May 2012 09:19 AM PDT

Moradores abandonaram seus animais ao serem
transferidos para novos apartamentos 

Notícia publicada na edição de 23/05/2012 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 9 do caderno A

O Ministério Público (MP) de Sorocaba instaurou ontem um inquérito civil, para analisar a situação dos moradores que estão sendo transferidos para o residencial "Altos do Ipanema" e tiveram de deixar seus animais para trás, já que a Prefeitura julga que os apartamentos não comportam cachorros de médio a grande porte. Segundo o promotor de Justiça curador de Direitos Humanos, Meio Ambiente e Urbanismo, Jorge Alberto de Oliveira Marum,
que é autor da investigação, a municipalidade deveria assumir as responsabilidades para com essa situação, por isso ele tentará analisar uma "forma racional" de resolvê-la, já que se trata de um caso de saúde pública. "Deixá-los ao relento é uma crueldade com os animais", revela o promotor. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Negócios Jurídicos (SEJ), informa que só irá se manifestar a respeito da ação quando for notificada oficialmente pelo MP e argumenta que nunca orientou os moradores a abandonar os seus animais no processo de mudança. 

O jornal Cruzeiro do Sul publicou, no último dia 18, uma reportagem que mostrava que muitos antigos moradores de uma área verde do bairro Júlio de Mesquita Filho acabaram abandonando seus animais, depois que tiveram que se mudar para o residencial na zona norte. Alguns que ainda habitam aquela região passaram a alimentar os cachorros deixados para trás, que ainda permaneciam nos locais que antes eram suas moradias, mas que hoje não passam de escombros. 

Após ter visto esta matéria, o promotor se preocupou com a situação em que os animais se encontram e com a forma com que as transferências estavam sendo realizadas, pois ele julga não estar havendo uma maior preocupação com os cachorros e gatos que as famílias em mudança possuíam. "Com esse inquérito, eu quero apurar como está sendo feita essa remoção e porque as famílias estão sendo obrigadas a deixar os animais desabrigados", explica Marum. Ele considera que uma análise preliminar indica que os moradores teriam sido obrigados pela Prefeitura a deixar para trás seus animais sem oferecer um local para a remoção destes. 

Para sanar esse problema, considerado por ele como de saúde pública, já que muitos cachorros e gatos estão sendo deixados nas ruas em plena campanha de vacinação antirrábica, o promotor irá investigar um meio de permitir que as famílias levem os seus bichos de estimação até o residencial. "O local deve ter um regulamento sobre isso, mostrando que tipo e que tamanho de animal as famílias podem ter. Se não existir, poderemos ver como fazer um regulamento", relata. 

Marum destaca que já está em contato com os representantes das secretarias de Cidadania e Saúde desde a semana passada. "Falei com a secretária da Cidadania, informalmente, pedindo para que nas próximas remoções, isso seja objeto de atenção deles. Também liguei para o secretário de Saúde, pois a Zoonoses teria que abrigar os animais. O secretário disse que iria verificar isso", revela Marum, informando, ainda, que algumas entidades já o contataram, demonstrando que poderão dar apoio para tirar os cães e gatos da rua. 

Zoonoses 

Apesar de ainda não querer se manifestar a respeito do inquérito, a Prefeitura encaminhou uma nota por e-mail, dizendo que a orientação prestada a cada família pela Zoonoses foi que, caso o animal não pudesse ser levado ao "Altos do Ipanema", o novo destino deles deveria ser de responsabilidade dos próprios donos dos bichos e não da Prefeitura. A Zoonoses ainda ressalta que, se as famílias não tivessem como fazer o transporte dos animais para os seus novos lares, elas poderiam acionar a equipe do setor, que mantém plantão no local das mudanças, ou pelo telefone (15) 3229-7300. 

A Zoonoses ainda reiterou que não recolhe animais cujos proprietários não querem ou não podem mais ficar com eles, pois seria uma ação contrária

Nenhum comentário: